LER, TENDINITE, TOME CUIDADO NO ESTUDO

Aí decido viver de música, me matriculo em um curso de guitarra, percebo que só vou ter sucesso com essa nova atividade se estudar muito, muito mesmo. Na empolgação da novidade passo horas e horas tocando sem perceber, mas é tão legal tocar, estudar e ver os resultados dos dias de treino aparecendo que não penso em largar nem por um segundo de hora vaga. Depois de meses de estudos insanos percebo um incômodo, não chega a ser uma dor, é mais uma espécie de ardência ou queimação nos braços e mãos. Até então tudo bem, esse incômodo fica presente durante o estudo, é só parar que passa. Na medida que o tempo passa e a evolução na guitarra aparece, preciso de mais horas estudando, até que o incômodo vira dor permanente. Descer e subir uma escala ficou muito difícil, segurar objetos com mais força também causa dor. Pois bem, agora é tarde e a LER me pegou.

Esse não é um exemplo qualquer. É um pouquinho da minha história com a guitarra e eu fiz exatamente o que descrevi anteriormente. Não foi por falta de avisos do professor. A busca pela técnica era tão grande que achava que com 16 anos eu não tinha tempo a perder e tinha pouquíssimo tempo pra virar uma “Malmsteen”. As mesmas reclamações de dor e desconforto que fiz, ouço hoje em dia dos meus alunos.

A sigla LER quer dizer lesão por esforço repetitivo. Tendinite é a inflamação dos tendões e pode ocorrer em qualquer parte do corpo.

No meu caso, a coisa foi um pouco mais séria, por causa da postura e pouca musculatura no braço acabei desenvolvendo um trauma chamado Doença de Kienbock, onde o tratamento cirúrgico é o procedimento mais eficaz porém com riscos, ou a eterna fisioterapia e diminuição severa do esforço. Doença de Kienbock, sendo mais direta, é uma lesão na altura do punho, acontece quando há grande esforço e pouca irrigação sanguínea no local. Nesse caso, estudar loucamente como se o mundo fosse acabar amanhã não é mais uma opção.

O melhor tratamento no caso da tendinite, LER e outras lesões ainda é a prevenção, fazer as pausas para descanso entre as horas de estudo, por exemplo: em uma hora, estude 45 minutos e descanse quinze minutos. Compressas de gelo/quente e principalmente alongar-se antes de pegar na guitarra são hábitos que devemos adotar diariamente. A musculação me ajudou muito também.

Imagine que tocar um instrumento é como praticar um esporte, você vai precisar se aquecer, se alongar se quiser evitar alguma lesão. Este vídeo explica de uma forma mais prática a tendinite e as precauções contra ela:

Lembre-se que no fundo o que importa mesmo é a qualidade com que você estuda e não quantas horas passa com a guitarra na mão. Claro que se você conseguir estudar mais e manter a qualidade é excelente, então lembre de manter o foco.

Bons estudos!

Violão ou Guitarra, por qual instrumento começar?

violao-ou-guitarra

A escolha entre violão ou guitarra é uma dúvida frequente entre pais e iniciantes no estudo da música através de um instrumento de cordas.

Imagine esta cena que é muito comum, pais e filho passeando no shopping ou até mesmo você, de repente aparece uma vitrine de instrumentos musicais, seus olhos brilham por causa da guitarra, logo vem uma frase que você já escutou antes: “primeiro você tem que aprender a tocar violão pra depois tocar guitarra”.

Muitos pais de alunos e os próprios alunos me procuram por causa dessa dúvida. Aqui eu exponho a minha opinião e a orientação que ofereço diante dessa pergunta: esqueça  aquela história de começar por aqui ou por ali, primeiro violão depois guitarra. Por suas características de afinação e número de cordas serem idênticas o início de estudo é o mesmo para ambos os instrumentos. Não existe absolutamente nada que você não possa fazer, inclusive começar a estudar guitarra sem nunca ter pego no violão.

A questão é que a guitarra é um instrumento um pouco mais melódico, onde as notas vão soar uma a uma, mais conhecidos como os solos, (lembre do início da música Sweet child o’ mine do Guns N’ Roses) por isso observo que os alunos que gostam mais de rock se interessam mais por ela. Já o violão soa mais harmônico, quando batemos todas as cordas de uma vez, caracterizando os rítmos, nesse caso, alunos que gostam mais de mpb ou sertanejo vão preferí-lo (agora lembre do início da música Fácil do Jota Quest). Claro, estudamos solos e rítmos tanto na guitarra quanto no violão, mas qual é a sua preferência? Do que você gosta mais? É fato comprovado que aprendemos com muito mais facilidade aquilo que gostamos e esse deve ser o seu primeiro passo. Tire dúvidas, pesquise, vá à lojas de instrumentos musicais, agende aulas demonstrativas.

Porém tenho que te lembrar que tocar guitarra vai precisar de um pouco mais de investimento. Além da troca de cordas que você deve fazer no mínimo de  seis em seis meses (tanto para o violão quanto para a guitarra) para começar um estudo de qualidade você ainda vai precisar de um amplificador e de um bom cabo. A guitarra é um instrumento elétrico, pode parecer óbvio mas muitas pessoas não sabem que precisamos ligá-la com esses outros equipamentos. Já no caso do violão estes ítens não são necessários, por ser um instrumento de caixa acústica isso é, produz som forte sem auxílio de amplificação. Esse é um dos motivos por qual as pessoas em dúvida ainda optam pelo violão ao invés da guitarra.

Bom, espero ter te ajudado de alguma forma, como já dizia o Chorão “nossas escolhas vão dizer pra onde iremos” então boa escolha e bons estudos pra você.

 

Todas as razões para tocar instrumentos musicais

Neste artigo, vamos olhar para algumas das razões para tocar instrumentos musicais. Aprender a tocar um instrumento musical pode oferecer muitos benefícios, se você realmente quer aprender a fazer algo em sua vida, então você deve pensar em aprender a tocar um instrumento musical.

Vejamos algumas razões porque neste artigo:

Você pode se tornar mais inteligente

Estudos têm mostrado que aqueles que tocar um instrumento musical na escola, fazer melhor com seus estudos do que aqueles que não o fazem. Diz-se que tocar instrumentos musicais tem um efeito terapêutico no cérebro. Ao tocar instrumentos musicais a partir de uma tenra idade, que desenvolvem as habilidades de leitura, a capacidade da criança de aprender, e também aumentar o QI da criança. Adultos podem se beneficiar também porque ele faz uma capaz de se concentrar melhor, resultando em efeitos, como concentrar-se mais mental e memória melhorada.

Aprenda Disciplina

Muitas pessoas que tocam música são muito disciplinados. Você tem que ser disciplinado, a fim de dominar o instrumento que você está jogando. Você precisa reservar um tempo cada dia para praticar, praticar e praticar mais. Embora muitas pessoas ao redor goof assistindo TV e bisbilhotando, você tem que definir que o tempo de lado para praticar em seu instrumento de eleição.

Instrumentos reviver o estresse

Quando você ouve música relaxante suave, pode desestressar muitas pessoas. Todos nós precisamos de dias em que precisamos apenas sentar e acalmar nossas mentes. A vida pode ser agitada e estressante. Tocar um instrumento pode relaxar por acalmar a mente.

Uma sensação de conquista

Se você é novo para tocar um instrumento musical, ficando o seu direito primeira parte pode ser muito frustrante. No entanto, uma vez que você conseguir isso, você pode ter um enorme sentimento de realização e satisfação.

Tocar instrumentos musicais é divertido

Tocar um instrumento pode ser muito trabalho duro, mas a maioria das pessoas que jogam dirá que tocar um instrumento é um lote inteiro de diversão. Depois de conseguir uma melhor tocar o seu instrumento musical escolhido, você será capaz de demonstrar o que você tem de aprender a familiares e amigos.

Você pode até optar por ir mais longe com suas habilidades e procurar tocar instrumentos musicais a nível profissional. Tocar instrumentos musicais abre muitas possibilidades, que só pode ser uma coisa positiva. Temos a certeza de que, aprendendo a tocar um instrumento musical, sua vida só pode ser enriquecido.

Fonte: http://clavesmoema.com.br

Qual violão devo comprar ? Dica para Iniciantes.

Qual violão devo comprar? Dica Para Iniciantes 

Na dúvida sobre Qual Violão Comprar muitos iniciantes do violão acabam comprando o instrumento errado e depois se arrependendo da má escolha. Existem vários critérios que devem ser observados e vão te ajudar muito na hora de escolher o melhor violão. O intuito deste artigo não é falar sobre marcas e valores porque isso depende das condições financeiras de cada um, mas vamos falar sobre qualidade e características do violão que devem ser observadas na compra.

Violão Acústico

Os violões apenas acústicos não tem nenhum tipo de captador próprio para ser amplificado em caixas de som. Estes violões podem ser utilizados para estudo e no caso de alguma apresentação em locais grandes você deve amplificar ele com microfones e captadores externos que podem ser comprados separadamente.

Violão Eletroacústico

Os violões Eletroacústicos tem sistema de amplificação próprio, mas podem ser utilizados tanto desligados como os violões acústicos, como ligados em caixas de som através de um cabo. As pessoas que adquirem violões eletroacústicos normalmente tem interesse em tocar em lugares como igrejas, barzinhos, casas de show, estúdios, dentre outros lugares em que se utiliza o instrumento com o som amplificado.

Madeira e Assuntos Relacionados à Qualidade

Existem vários tipos de madeira que junto a outras características como o tipo de corda, tamanho do corpo do violão e outas vão influenciar diretamente no timbre do instrumento. O caso da madeira ser boa ou não também está diretamente relacionado ao preço do violão, no entanto para todos os tipos de madeira você deve conferir no momento de compra o timbre do violão (se possível leve alguém que já toque para te ajudar a verificar se o timbre é bom), deve conferir também se o violão não está empenado (com a madeira e/ou braço tortos). O fato de a madeira estar torta ou não vai impactar em questões de afinação e técnica, por isso é muito importante conferir se a corda do violão afinada solta está de acordo com a afinação de mesma nota na 12º casa, por isso é interessante que você leve alguém que toque e entenda de afinação para te ajudar a escolher o melhor instrumento, principalmente se ele for usado.

Verifique se os trastes (aqueles risquinhos no braço do violão) não estão muito gastos, pois eles também devem estar em bom estado para uma boa afinação do violão e para um bom desenvolvimento técnico. Verifique se todas as peças do violão estão em bom estado para que você não tenha futuros problemas (tarraxas, cavalete, mão, acabamento, etc)

Tipo de Corda

O tipo de corda utilizada está relacionado ao ritmo que vai tocar e a técnica.

*Cordas de Aço: São utilizadas em ritmos de rock, blues, sertanejo, dentre outros e por serem mais duras e rígidas tendem a machucar mais os dedos dos iniciantes, todavia com o tempo os dedos vão calejar e as dores somem.

*Cordas de Nylon: São utilizadas em ritmos como Samba, MPB, música erudita, dentre outras, e são mais utilizadas por iniciantes do violão por conta de machucarem menos os dedos.

*Espessura: Se você quer cordas mais moles para fazer muitas técnicas de solo como bends procure por cordas 010 e até 009, mas se você quer um timbre bom, mais encorpado você pode usar cordas mais duras como 011 e/ou 012.

Tipos de Violão

Os modelos de cada violão estão diretamente relacionados ao tipo de música  e nível musical. Para te ajudar vamos conhecer alguns modelos de violão:

*Violão de Estudos: Estes violões normalmente são bem básicos e baratos e são uma boa pedida para as pessoas que estão começando a tocar. Se você ainda não sabe onde quer tocar futuramente eu te aconselho a adquirir um violão barato de estudos para aprender, e aí com o tempo quando souber o rumo que quer tomar você deve adquirir um violão específico.

violão de estudo

*Violão Folk.: Estes violões por sua sonoridade tem uma característica de rock, blues, folk e até sertanejo. Se você quer tocar estes estilos musicais pode em apresentações pode por exemplo adquirir um violão folk eletroacústico. Nos violões folks se utilizam cordas de aço. Se você quer usar as casas mais agudas do violão para fazer solos escolha um modelo que tenha recuo como na foto abaixo.

Violão Folk

*Violão Erudito: Nestes violões normalmente se utilizam cordas de nylon e eles normalmente tem uma sonoridade seca e encorpada para músicas eruditas. Alguns modelos parecem pequenos e tem casas até menores que sugerem acordes com mais aberturas. Alguns violões podem ter mais de 06 cordas que é a quantidade padrão dos violões.

Violão Erudito

*Violões para Samba, MPB, Bossa nova: Estes violões podem ter um corpo grande para sugerir uma sonoridade mais aberta e uma acústica bem interessante para os ritmos musicais citados. Se utilizam cordas de nylon para os violões destes gêneros musicais e você encontra modelos acústicos e eletroacústicos que devem sempre ser comprados de acordo com a sua intenção musical. Se você quer fazer solos nas ultimas casas mais agudas escolha um modelo com recuo.

Fonte: http://iniciantesdoviolao.com.br/

Os benefícios da música para as crianças

O compositor de canções do Castelo Rá-Tim-Bum explica por que a música faz um bem enorme aos pequenos.

 

Você já deve ter ouvido falar das canções que Hélio Ziskind compõe para os programas educativos. A clássica Ratinho Tomando Banho é dele. Leia aqui a entrevista com o compositor sobre educação musical.

Como a música ajuda no desenvolvimento infantil?

Ela estimula áreas importantes do cérebro, preenche vazios e incentiva o contato consigo mesmo. Uma pessoa desafinada é alguém que ainda não conseguiu se ouvir.

Por que o contato com a própria voz é importante?

Cantar exige transformações na voz. Você precisa esticar as vogais para manter a nota e respirar nos momentos certos para não perder o fôlego. Isso gera um autocontrole enorme.

E por que aprender por meio de músicas é mais eficiente?

Porque cria-se um laço afetivo com os temas das músicas e isso permite um entendimento melhor por parte da criança.

Quais os benefícios da criança que aprende a tocar instrumentos?

Tocar um instrumento exercita a coordenação motora, desenvolve as capacidades da mente e o raciocínio. Aumenta a sociabilidade, ou seja, ensina a trabalhar em grupo. Mas o mais importante é que mexe com a autoestima. Não se toca para os outros sem uma boa dose de autoconfiança.

Como os pais podem estimular o aprendizado musical em casa?

O nível mais básico é sentar com os filhos para ouvir uma música. Bastam três minutinhos. Selecione uma canção de que você goste, que desperte algum tipo de emoção. Não precisa ser “educativa”. Conversem sobre o que ela fala e cantem juntos.

E no nível avançado?

Os pais devem visitar uma escola ou uma ONG em que a criança possa experimentar instrumentos variados e escolher um para tocar. Evite que ela desista no primeiro obstáculo. Violão dói o dedo, saxofone machuca o lábio, bateria enche as mãos de bolhas. Mas é só até acostumar. Assistir a um show, mesmo que a família não tenha formação musical, também vale a pena.

Escrito por Redação M de Mulher